A função assert() testa se uma expressão é true (verdadeira).

Ao executar seu programa, se a expressão for verdadeira (true), o assert se mantém silencioso, quer dizer, ele nada acusa.

Mas se ao executar o programa e a expressão for falsa (false), o assert gritará interrompendo a execução do programa.

Para utilizarmos o assert em nosso código é preciso utilizar o cabeçalho assert.h.

#include <assert.h>

Exemplo (true)

Este código compilará e executará sem problemas (silenciosamente).

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

int main(int argc, char const *argv[])
{
    assert(1 == 1);
    return 0;
}

Exemplo (false)

Este código compilará mas será interrompido na execução, pois a expressão 1 == 2 é falsa.

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

int main(int argc, char const *argv[])
{
    assert(1 == 2);
    return 0;
}

Desabilitar o assert

É possível desabilitar o assert sem mexer no código, utilizando a diretiva #define NDEBUG.

Note bem, a diretiva deve ser utilizada antes do #include <assert.h>, ok? (obrigado Jonathan Gonzaga pela contribuição ).

O exemplo anterior "false" funcionará corretamente, por tanto, de forma silenciosa, veja:

#include <stdio.h>
#define NDEBUG
#include <assert.h>

int main(int argc, char const *argv[])
{
    assert(1 == 2);
    return 0;
}

É como se a linha assert(1 == 2); não estivesse ali, ela é ignorada.

Importante

O assert() não é para ser utilizado em seus programas reais. A não ser que você tenha outra razão para utilizá-lo.

Nesse curso de lógica, utilizaremos ele com frequência. A razão é porque ele nos ajuda a simular um teste unitário, mas apenas isso, para simular um teste unitário.

Ao laborar o curso, eu procurava o forma mais simples de fazer um teste sem complicar as coisas, essa forma foi através do assert().

Não vá pensar que é para utilizar o assert() a "torto e direito", vamos utilizá-lo apenas em quanto ele for útil para o aprendizado de lógica de programação juntamente com testes unitários.

Navegue nesta série!