'Rodando os testes' ou 'compilando e executando', socorro ?

Entendendo como o assert nos ajudará.

Estamos na seção da linguagem C/C++ tentando entender o mínimo sobra a linguagem para poder realizar os exercícios de lógica de programação (aliadas a testes unitários) propostos na mesma seção.

Se você leu as matérias anteriores deve estar um pouco confuso em relação ao processo, afinal de contas estamos "rodando os testes" ou "compilando e executando"?

É isso o que eu quero esclarecer.

Ao juntar as duas coisas (lógica de programação e testes unitários) eu inseri um "complicador": os próprios testes unitários. Em outra palavras, testes unitários não é um assunto básico e, por tanto, me deparei com a seguinte questão:

Como ensinar lógica de programação juntamente com testes unitários sem antes ensinar programação orientada a objetos, framework de testes, e as questões relacionados ao universo de testes unitários?

Eu tentei simplificar utilizando a função "assert()". A consequencia é que, devido ao funcionamento da função assert(), o significado de "rodar os testes" passa a ser "compile e execute" e a confusão em torno disso pode nos atrapalhar.

Vamos colocar os pingos nos is...

Na vida real

Eu escrevo testes com ajuda de um framework, normalmente baseado no xUnit.

Eu "rodo os testes" através do framework, é ele quem me diz se o código está ou não funcionando.

O código produzido é inteiramente orientado a objetos. Pois a menor unidade é um método e esse método está dentro de uma classe.

Em nosso caso

Vamos utilizar a função assert() para simular testes unitários, inclusive o framework (coitado do assert).

A função assert() não me obriga a criar um método, logo poderemos fazer isso dentro do bloco da função principal main (nas linguagens c e c++).

Então não confunda as coisas

Em nosso caso, "rodar os testes" significa compilar (sem erros) e executar o programa.

Se o assert() funcionar (a expressão for verdadeira), os testes passaram.

Se o assert() falhar (a expressão for falsa), os testes também falharam.

Exemplo (true)

O código abaixo compila corretamente e ao ser executado ele "não faz nada", fica em silêncio (a expressão testada pelo assert() é verdadeira).

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

int main (){

    int  dobro;
    dobro = 2 * 50;// dobro será 100

    // Simulando o  teste
    assert(100 == dobro);

    return 0;
}

Rodando os testes...

gcc seucodigo.c -o seuprograma.run
./seuprograma.run

Testes passando (bandeira verde).

Exemplo (false)

O código abaixo também compilará, mas ao executar ele será interrompido pela função assert().

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

int main (){

    int  dobro;
    dobro = 3 * 50;// negativo dobro será 150

    // Simulando o  teste
    assert(100 == dobro);

    return 0;
}

Rodando os testes...

gcc seucodigo.c -o seuprograma.run
./seuprograma.run
executavel.run: foo.c:11: main: Assertion `100 == dobro' failed.
Aborted

Testes falhando (bandeira vermelha).

Resumindo

Um código na linguagem c nada mais é do que um arquivo de texto.

Se esse arquivo de texto chamar-se, por exemplo, "seucodigo.c", então:

Compilando:

gcc seucodigo.c -o seuprograma.run

Executando (rodando os testes):

./seuprograma.run

Se o assert() ficar em silêncio, testes passando (green).

Se o assert() gritar, testes falhando (red).

E agora?

Agora acredito que você está pronto para praticar os exercícios de lógica de programação aliados a prática de testes unitários.

Bons estudos!

Comentários

comments powered by Disqus