Cada objeto que implementa a interface CanvasPathMethods possui um path (caminho).

São eles:

  • closePath
  • moveTo
  • lineTo
  • quadraticCurveTo
  • bezierCurveTo
  • arcTo
  • rect
  • arc
  • ellipse

Um path (caminho) tem uma lista de zero ou mais subpaths (subcaminhos).

Cada subpath consiste de uma lista de um ou mais pontos, ligados por segmentos de linhas retas ou curvas, e um sinalizador que indica se o subpath está fechado ou não.

Criando caminhos (paths)

A documentação da MDN diz que é preciso 3 passos para criar um caminho (path):

1 passo

O primeiro passo para criar um caminho (path) é chamar o método beginPath().

Internamente, os caminhos são armazenados como uma lista de sub-caminhos (linhas, arcos, etc) que juntos formam uma forma (shape).

2 passo

O segundo passo é chamar os métodos que realmente especificam os caminhos a ser desenhado.

3 passo

A terceira (opcional), é chamar a função closePath().

Este método tenta fechar a forma (shape) desenhando uma linha reta do ponto atual para o início.

Se a forma já foi fechada ou há apenas um ponto na lista, esta função não faz nada.

Uso básico de beginPath() e closePath()

O caminho (path) está entre as chamadas das funções beginPath() e closePath() e desenhar um triângulo é o exemplo que mais ilustra o caminho (path).

Primeira coisa é tentar entender as coordenadas (veja os comentários).

Segunda coisa, repare que só traçamos duas linhas (lineTo). O método closePath() executou a última linha, ou seja, fechou nosso caminho.

Ele pintou a linha até o ponto inicial (beginPath) que era x=30 e y=120.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex01');
var context = canvas.getContext('2d');

context.beginPath();     // iniciamos o path
context.moveTo(30, 120); // movemos a pena para x=30 e y=120 (canto esquerdo)
context.lineTo(45, 90);  // traçamos uma diagonal até x=45 e y=90 (canto superiror)
context.lineTo(60, 120); // diagonal até x=60 e y=120 (canto direito)
context.closePath();     // fecha o caminho (traça uma reta até x=30 e y=120 - beginPath)
context.stroke();        // pinta o caminho

Importante

  • Sem o beginPath() o closePath(), incrivelmente, funciona. Pelo menos neste caso simples.
  • A ordem é importante, se o objetivo é fechar o caminho, então closePath() deve vir sempre antes de stroke()

Outro triângulo

Este triângulo começa no canto esquerdo em x=75, y=50.

Traçamos uma diagonal até x=100, y=75, canto inferior.

E então subimos com uma reta até x=100, y=25, canto superior.

Novamente, o método closePath() completa nosso triângulo.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex02');
var context = canvas.getContext('2d');

context.beginPath();
context.moveTo(75,50);
context.lineTo(100,75);
context.lineTo(100,25);
context.closePath();
context.stroke();

Exemplo do método fill()

Esse triângulo começa em x=30, y=30, canto esquerdo.

Pinta uma reta até x=90, y=30.

Uma diagonal até x=30, y=90.

O método fill() desenha a última reta e preenche o triângulo.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex03');
var context = canvas.getContext('2d');

context.beginPath();
context.moveTo(30, 30);
context.lineTo(90, 30);
context.lineTo(30, 90);
context.fill();

Importante

  • Repare que ele substituiu tanto o método closePath() quanto o stroke().

Exemplo com método bezierCurveTo()

Ok, ainda não falamos (e continuaremos não falando) do método bezierCurveTo().

Mas não pude deixar de mostrar o exemplo.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex04');
var context = canvas.getContext('2d');

context.beginPath();
context.moveTo(10, 10);
context.lineTo(90, 90);
context.bezierCurveTo(30, 30, 30, 60, 60, 150);
context.fill();

O que as linhas tem a nos ensinar?

Quanto será que o path influencia nosso paint? Muito, compare os exemplos abaixo.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex05');
var context = canvas.getContext('2d');

context.beginPath();
context.moveTo(60, 30);
context.lineTo(240, 30);
context.stroke();

context.beginPath();
context.moveTo(60, 60);
context.lineTo(240, 60);
context.stroke();

context.beginPath();
context.moveTo(60, 90);
context.lineTo(240, 90);
context.stroke();

context.beginPath();
context.moveTo(60, 120);
context.lineTo(240, 120);
context.stroke();

No código acima, todas as linhas estão no tom cinza.

Já o debaixo, apenas a última linha está com tom cinza.

fig exemplo de canvas

var canvas = document.getElementById('ex06');
var context = canvas.getContext('2d');

//context.beginPath();
context.moveTo(60, 30);
context.lineTo(240, 30);
context.stroke();

//context.beginPath();
context.moveTo(60, 60);
context.lineTo(240, 60);
context.stroke();

//context.beginPath();
context.moveTo(60, 90);
context.lineTo(240, 90);
context.stroke();

//context.beginPath();
context.moveTo(60, 120);
context.lineTo(240, 120);
context.stroke();

Repare que no segundo exemplo o beginPath() foi comentado (anulado).

Qual é a diferença entre os resultados?

A princípo percebe-se uma inconsistencia no exemplo sem o beginPath().

Então podemos afirmar que o path ajuda na consistencia de nosso desenho.

Desafio

No primeiro exemplo, fazemos uso da função beginPath() mas não fechamos os caminhos (closePath()).

O que isso siginifca?

Que o beginPath() seguido de outro beginPath() inicia um subPath ?

ou…

Que o beginPath() seguido de outro beginPath() funciona também como closePath()?

Fonte

Navegue nesta série!


Comentários

comments powered by Disqus