Ponteiros

Exercício de lógica envolvendo ponteiros

Este é o primeiro exercício envolvendo ponteiros da linguagem C.

Será necessário que você tenha os conceitos básico sobre o que é um ponteiro.

Mas se não tiver, tubo bem, isto ajudará:

Para declarar um ponteiro utilizamos operador unário *.

Para acessarmos o endereço de uma variável utilizamos o operador unário &.

Eu separei o exercício em duas partes...

Primeira parte (sem ponteiros)

Veja com atenção o código abaixo:

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

main() {

    int x, y;

    x = 10;
    y = x;
    x = 20;

    assert(x == 20);
    assert(y == 10);
    return 0;
}

No código acima sabemos que x == 20 e que y == 10, ok.

Seu desafio é me dizer por que x é igual a 20 e por que y é igual a 10.

Vou lhe dar uma ajudar...

x e y são do tipo inteiro (int),

int x, y;

A variável x contém o valor 10.

x = 10;

E aqui está a pegadinha.

y = x;

O que é passado (atribuído) para a variável y?

Bom, alguma coisa de x é atribuído a y, e esse "alguma coisa" seria o valor ou a referência de x?

Se olharmos para dentro da variável y o que veremos?

Sabemos que é o valor 10, pois o código mostrado (lá em cima) já nos diz isso.

E, por tanto, passamos para y... o valor de x.

Pronto, respondido!

Segunda parte (com ponteiros)

Agora vamos ao segundo exemplo.

#include <stdio.h>
#include <assert.h>

main() {

    int x, *y;

    x = 10;
    y = &x;
    x = 20;

    assert(x == 20);
    assert(*y == 20);
    return 0;
}

E agora, por que x é igual a 20 e por que y também é igual a 20?

Vamos lá...

x e y ambas são do tipo inteiro, porém y agora é um ponteiro e não mais uma simples variável.

int x, *y;

Isso significa que x aloca um espaço na memória e guardará nesse espaço valores inteiros.

Por outro lado, *y não alocou espaço algum (ainda não, pois não foi inicializado) e, ao invés de valores, será armazenado o endereço da memória.

Continuando, inicializamos a variável x com o valor 10.

x = 10;

E, agora sim, inicializamos o ponteiro y com o endereço da variável x.

y = &x;

Com isso já podemos concluir o seguinte:

printf("%d", x);  // mostrará o valor de x
printf("%d", &x); // mostrará o endereço de x

Mas voltando ao nosso pequeno trecho de código y = &x, atribuímos a y o endereço de x.

Podemos dizer, em outras palavras, que y está amarrado em x, pois se mudarmos o valor de x, o valor de y também será alterado. Quer dizer, y é um ponteiro para a variável x.

Obs: A utilidade de ponteiros não é ficar apontando para outras variáveis. Estamos estudando um exemplo "bobo" que tem como objetivo ser apenas didático.

Se continuarmos a ler o código...

x = 10; // x é igual a 10
y = &x; // y aponta para x
x = 20; // x, agora, contém 20

Qualquer alteração em x refletirá em y.

Concluindo

A idéia essencial é que um ponteiro, diferentemente de uma variável comum, armazena os endereço de memória.

Veja também a principal diferença entre os dois exemplos:

No primeiro exemplo y recebe o valor de x (por valor).

y = x;

Neste caso, alterar o valor de x não influencia y.

No segundo exemplo y recebe o endereço de x (por referência):

y = &x;

Neste caso, y aponta para x e que estiver em x, obviamente, estará em y.

Talvez esse seja o seu primeiro passo no entendimento de ponteiros da linguagem C, por tanto eu procurei extrair os elementos mais simples do assunto ponteiros para não "travarmos" no entendimento. Obviamente não terminamos aqui, ainda há muita coisa para aprendermos sobre ponteiros.

Que tal vermos como eles agem sobre uma função?

Esse é o próximo exercício Trocar o valor de duas variáveis (utilizando ponteiros)

Navegue nesta série!

Comentários

comments powered by Disqus