Apache - Configurando Virtual Hosts

Aprenda a utilizar Virtual Host no Apache, acompanha um exemplo prático.

Este artigo é para quem quer configurar o Apache (localmente), através de Virtual Hosts, com o intento de imitar o ambiente de produção.

Quando desenvolvemos softwares, utilizamos nossa própria máquina como se fosse um servidor local, por isso chamamos ela de localhost. Os desenvolvedores sempre tentam imitar ao máximo o ambiente de produção e existem algumas técnicas para conseguir esse objetivo. Enquanto escrevo este artigo (jan/2015), a forma mais elegante de imitar o ambiente de produção é fazer uso do Vagrant, mas essa não é a única forma. Durante muito tempo (antes do Vagrant) fizemos isso utilizando uma Virtual Host, quer dizer, já é uma técnica ultrapassada, porém ainda muito utilizada.

O servidor Apache pode ser configurado para servir apenas a um site, o que é natural quando o cliente é dono e administra o servidor. Neste caso, a pasta principal (documentroot) /var/www/ responderá por todos os sistemas ali instalados e haverá uma única configuração para os diversos sistemas.

O Apache também pode ser configurado para hospedar vários sites no mesmo servidor, cada um com sua própria configuração, fazemos isso através do Virtual Host.

Configurar o Apache com a intenção de administrá-lo é um trabalho para os profissionais de infraestrutura, porém neste artigo nos vamos aprender a configurar o Apache apenas para adequar o ambiente de desenvolvimento. Digo isto para que você percebe a diferença entre as abordagens:

1. Configurar o Apache para atender a diversos sites e sistemas (ambiente de produção)
2. Configurar o Apache para desenvolver softwares (ambiente de desenvolvimento)

O que é Virtual Host ?

Virtual Hosts (sites virtuais) é um recurso que permite servir mais de um site no mesmo servidor. Podem ser usadas diretivas específicas para o controle do site virtual, como nome do administrador, erros de acesso a página, controle de acesso e outros dados úteis para personalizar e gerenciar o site. (wikibooks.org - Guia do Linux)

Imagine que você precise servir 2 sites distintos: www.joao.com.br e www.maria.com.br, cada qual com sua configuração, exemplo:

// arquivo "/etc/apache2/sites-available/joao"
<VirtualHost *:80>
    ServerName www.joao.com.br
    DocumentRoot /var/www/joao
</VirtualHost>

// arquivo "/etc/apache2/sites-available/maria"
<VirtualHost *:80>
    ServerName www.maria.com.br
    DocumentRoot /var/www/maria
</VirtualHost>

Se listarmos o diretório /etc/apache2/sites-available/ veremos o seguinte resultado:

default
joao
maria

Este são as Virtual Hosts disponível para seu servidor Apache, para habilitar devemos utilizar o comando a2ensite e para desabilitar utilizamos o comando a2dissite.

Repare que ambos os exemplos apontam para o documentroot padrão /var/www/, ou seja o Virtual Host não é o responsável pela redirecionamento. Se você configurar o Apache para um ambiente de produção você deve utilizar um servidor de DNS, se você configurar o Apache para um ambiente de desenvolvimento você pode utilizar algo mais simples que um DNS, o arquivo hots, por exemplo.

Veja mais detalhes em hardware.com.br - Apache: Usando virtual hosts

Explicar o que é um Virtual Host através da teoria pode ser pouco produtivo, então vamos partir para um exemplo prático...

Criando uma Virtual Host

Nosso objetivo é criar um Virtual Host para o endereço fictício www.foo.local. Os arquivos do projeto estarão em um local parecido com este /pasta/de/projetos/foo, logo, se digitarmos a URL no navegador o servidor web deve redirecionar para nossa pasta (/pasta/de/projetos/foo).

Supomos que o projeto rode sobre o domínio www.foo.com.br, mas não vamos redirecionar o domínio oficial se não você terá que alterar sua Virtual Host cada vez que quiser trocar entre a versão de produção e a de desenvolvimento.

Vamos começar alterando o arquivo hots. Normalmente, ele se encontra no endereço /etc/hosts.

O conteúdo do arquivo hosts deve ser como abaixo.

127.0.0.1 localhost
127.0.0.1 www.foo.local

Salve o arquivo e experimente acessar a URL www.foo.local, você pode fazer isso através do navegador ou pelo utilitário curl: curl www.foo.local.

O resultado de www.foo.local deve ser idêntico ao resultado de localhost.

Agora, vamos partir para a configuração do Apache. Eu estou no Debian (wheezy), se você tiver em outra distro, talvez tenha que acertar um caminho ou outro mas, em geral, a configuração é bem parecida.

Vamos até a pasta onde o Apache guarda os Virtual Hosts cd /etc/apache2/sites-available.

A partir desta pasta, como dito, o Apache pode habilitar ou desabilitar individualmente cada Virtual Hosts, faremos isso através dos comandos listados a seguir:

Quando habilitamos um "site" o Apache cria um link para a pasta /etc/apache2/sites-enabled, quando desabilitamos, ele remove o link.

Crie um arquivo denominado simplesmente foo e insira o seguinte conteúdo.

<VirtualHost *:80>
    ServerName www.foo.local
    ServerAlias foo.local
    DocumentRoot /pasta/de/projetos/foo
</VirtualHost>

Corrija a diretiva DocumentRoot para a pasta onde está seus projetos (pode ser qualquer pasta).

Podemos, então, habilitar o novo Virtual Host com o comando abaixo.

a2ensite foo

Para surtir efeito, devemos reiniciar o Apache service apache2 reload (na família RedHat /etc/apache2/conf.d/apache2 restart).

Testando

Na pasta /pasta/de/projetos/foo crie um arquivo HTML bem simples chamado index.html, exemplo:

<!DOCTYPE html>
<html lang="pt-br">
    <head>
        <title>Criando Virtual Host</title>
        <meta charset="utf-8">
    </head>
    <body>
        <p>Ok, sua Virtual Host foi configurada corretamente!</p>
    </body>
</html>

Novamente, acesse a URL www.foo.loca, você deve ver o HTML acima renderizado.

Se encontra algum problema tente ver os logs do Apache tail /var/log/apache2/error.log no Debian ou tail /var/log/httpd/error_log para família RedHat.

Veja também

CGI é um acrónimo para a expressão inglesa Common Gateway Interface. Consiste numa importante tecnologia que permite gerar páginas dinâmicas, permitindo a um navegador passar parâmetros para um programa alojado num servidor web. Assim, designam-se por scripts CGI os pequenos programas (veja exemplos ao longo da matéria) que interpretam esses parâmetros e geram a página depois de os processar.

Leia mais no artigo CGI Servindo páginas web (html)

Comentários

comments powered by Disqus