O PHP é uma linguagem popular de script (scripting language) de propósito geral que é especialmente adequada para desenvolvimento web. Rápido, flexível e pragmático, o PHP pode fazer tudo, desde um blog até os sites mais populares do mundo.

Fonte: php.net

PHP é uma linguagem de programação para uso geral.

Inicialmente, projetada por Rasmus Lerdorf na década de 1990, tinha como objetivo principal contar as visitas que eram realizadas em seu currículo on-line. Hoje (quase 20 anos depois, estrou [re]escrevendo este artigo em julho/2017) ainda é isso o que fazemos com PHP, alteramos o HTML de forma dinâmica lá no lado do servidor. À primeira vista, pode parecer algo simples e até estúpido, mas é assim que é, e posso garatir a você, é uma terafa desafiadora. Com o tempo, você descobrirá que ele pode fazer muito mais do que alterar HTML (rss), poderá fazer API’s consistentes e que trabalham com JSON, por exemplo.

O PHP atua junto com um servidor web, esse último é alguém que foi programado para escutar requisições HTTP e devolver algum tipo de resposta. Fazendo o papel de cliente, temos o browser, o seu navegador web! Ele é um softwarer que faz requisições web.

faltou imagem ilustrando as requisições

É esse o fluxo (à grosso modo) de um modelo cliente/servidor.

Tente fixar essa imagem em sua memória.

Hello World com PHP

Você pode abrir um editor de texto qualquer e criar um arquivo chamado index.php.

Tenha a certeza de não ter nada escrito neste arquivo.

Agora, adivinha o que faz esse script ? Nada, absolutamente nada. Seu script será interpretado como se fosse um arquivo HTML, a única coisa que lembra que ele é um script é sua extensão .php.

# index.php




A primeira coisa que você deve fazer é inserir a tag inicial de php <?php. E sim, temos a tag de fechamento ?>, mas não é necessário utilizá-la caso o conteúdo seja inteiro de php, veja exemplo abaixo.

<?php



Agora seu arquivo se parece com um script php (rssss). Vamos dar vida a ele ?

A função echo exibe uma string. As strings são representadas e envolvidas por aspas duplas ou simples.

Ao final de cada linha, temos o símbolo ;

<?php

echo "Oi, eu sou o PHP!";

Esse foi nosso “hello world”.

Se você tivesse um servidor web devidamente instalado e, junto com ele, o PHP também instalado, você poderia executar esse script. Você abre seu navegador e aciona a URL http://localhost/index.php.

http      - este é o protocolo
://       - isso é, bem isso é uma chatisse
localhost - ele procura no host local, sacou ?
index.php - esse é o nome de seu script

Veremos como instalar o ambiente nos próximos artigos, por enquanto é importante você entender melhor o processo.

Hello world no terminal

Não é só através de um navegador que executamos um script php, podemos fazer isso através do terminal.

Quem usa Linux, já deve estar familiarizado com o terminal e quem usa Windows, não tem desculpa não, pois você pode usar o Power Shell, no terminal execute:

php index.php

Aliás, no terminal, podemos acionar o servidor do php que vem embutido com alinguagem (disponível na versão 7).

php -s index.php

Você conseguirá abrir a URL http://127.0.0.1/index.php:8000.

Mas, por hora, vamos tentar entender o processo.

Você precisa entender o processo

Um domínio, por exemplo devfuria.com.br, está configurado para apontar para determinado servidor. Neste referido servidor, temos nossa estrutura de diretórios. Uma pasta muito importante é a raiz de documento (documentroot), o nome dessa pasta normalmente é public_html ou htdocs.

faltou imagem ilustrando o documentroot

faltou imagem ilustrando o documentroot

Dentro de nosso documentroot temos uma infinidade de scripts que respondem pelas requisções, eles são arquivos de texto simples salvos com a extensão .php. Dentro de uma pasta, o script padrão executado será o de nome index, veja figura abaixo.

imagem ilustrando a listagem da pasta pelo servidor

Em outras palavras, o servidor irá procurar por esse nome, se ele achar, executa, se não achar ele listará o diretório, veja figura abaixo. O programador mudou o nome do arquivo para indexador.php, portanto, o servidor não soube que script executar e resolveu mostrar (listar) os arquivos contidos na pasta.

faltou imagem ilustrando a listagem da pasta pelo servidor

Continuando, vamos imaginar que o domínio dev.opera.com está apontando para o número IP 213.236.208.98. Quando você abrir seu navegador e digitar a URL dev.opera.com ele irá fazer uma requisição através do protocolo HTTP para o número do IP mencionado, vai percorrer dividido em pacotes por um “caminho maluco” chamado INTERNET (peça para uma cara de “redes’ explicar esse negócio à você) e finalmente, vai bater no servidor. Este, encontrando o resultado, devolve para o cliente o HTML com o código de resposta 200 (página encontrada). Estamos ainda nos referindo sobre o modelo cliente/servidor e sobre requisições e respostas (requests and responses). Veja a imagem abaixo.

faltou imagem ilustrando as requisições

Exercício

Abra um editor de texto qualquer e crie um arquivo PHP que faça alguma coisa, nem que seja um “hello world”.

Desafios

  1. Releia o artigo e me diz qual foi a sua dúvida nos comentários abaixo.
  2. Procure na web por cada um dos itens abaixo que você desconhece…
    • modelo cliente-servidor
    • protocolo HTTP
    • códigos de resposta do protocolo HTTP (200, 404, 500, 501, etc…)
    • requisições (requests) HTTP
    • respostas (responses) HTTP
    • servidor web
    • documentroot
    • script
    • domínio (para web)
    • URL
    • script
  3. Descubra quais são os servidores web disponível e anote qual é a última versão. Você não vai querer instalar uma versão que não seja a mais atual, vai?

Olha o que eu selecionei para vc


Comentários

comments powered by Disqus