$_GET e $_POST são variáveis globais, você poderá utilizá-las em qualquer parte do código.

Adivinha quando você usa uma ou outra?

Quando a requisição for GET usaremos $_GET.

Quando a requisição for POST usaremos $_POST.

Ambas são do tipo array.

Podemos ver o resultado das variáveis da seguinte forma:

var_dump($_GET, $_POST);

A requisição acontece com um grupo de pares nome=valor.

Se a requisição fosse via POST, teriamos:

$_POST['nome'] = valor

e se fosse via GET teríamos:

$_GET['nome'] = valor

Tudo igual, certo ? Certíssimo! A única mudança é na variável global, ou $_GET ou $_POST.

Quando a key(chave) não existe

Quando executamos o script abaixo sem os devidos paramêtros…

<?php
echo $_GET['foo'];
?>

…recebemos um erro:

"PHP erro undefined index"

E aí, já sabe identificar o erro? O indice do array não foi definido (Undefined Index). Quer dizer, estamos querendo utilizar um índice de um array que ainda não foi definido (inicializado).

Na verdade não é um erro e sim um notice. Em PHP temos erros fatais (error), notices e warnings. Mas isso é outro assunto.

Checando se o valor “chegou” ou não com isset()

A função isset() nos diz se determinada variável foi inicializada (“setada”).

Traduzindo “is set” ao pé da letra (tradução tupiniquim) seria “está setado” ou melhor “foi inicializado”.

A função testa variáveis e também chaves associativas de array, então podemos utilizá-la da seguinte forma:

if(isset($_POST['foo'])) {
    echo $_POST['foo'];
}

Prejuízos: uma linha de código virou 3 e, ligeiramente, menos legível.

Um programador “espertinho” faria isso:

if(isset($_POST['foo'])) { echo $_POST['foo']; }

Voltamos a 1 única linha, mas a acabamos com a legibilidade. Bom, será que com o operador ternário ficaria melhor ? Ou menos ruim?

Incializando com operador ternário

Para quem não conhece, em PHP temos o operador ternário (expressão) ? true : false ;.

Uma variável pode ser inicializada com o valor null, exemplo:

$_POST['foo'] = null;
echo $_POST['foo'];

O código acima evitaria o erro undefined index, mas ele não faz sentido, ele sobrescreveria o valor passado na requisição. Então, de repente, surge a seguinte idéia:

if(isset($_POST['foo'])) {
    # retornar o valor da variável
} else {
    # retornar null
}

Seria ótimo, mas agora temos 5 linhas.

Neste caso poderemos utilizar o operador ternário.

echo ( isset($_POST['foo']) ) ? "retornar o valor da variável" : "retornar null";

Trocando as strings por código real temos:

echo ( isset($_POST['foo']) ) ? $_POST['foo'] : null;

Voltamos a uma única linha, mas se tivermos 2 pontos ou mais teremos que repetir esse “trambolhão” aí.

E se, ao invés de dar echo, atribuíssemos o valor na própria variável $_POST['foo']?

$_POST['foo'] = ( isset($_POST['foo']) ) ? $_POST['foo'] : null;

Perfeito! Agora podemos dar echo à vontade.

O código final ficou assim:

$_POST['foo'] = ( isset($_POST['foo']) ) ? $_POST['foo'] : null;
echo $_POST['foo'];

Então podemos combinar o seguinte: no começo do script recebemos os dados e ficamos tranquilo para utilizar no restante do script, veja:

<?php

#
# Recebemos os dados no começo do script
#
$_POST['laranja'] = ( isset($_POST['laranja']) ) ? $_POST['laranja'] : null;
$_POST['banana']  = ( isset($_POST['banana']) )  ? $_POST['banana']  : null;
$_POST['pera']    = ( isset($_POST['pera']) )    ? $_POST['pera']    : null;
$_POST['abacaxi'] = ( isset($_POST['abacaxi']) ) ? $_POST['abacaxi'] : null;

#
# Apartir deste ponto podemos utilizar o array sem medo
#
echo $_POST['laranja'];
echo $_POST['banana'];
echo $_POST['pera'];
echo $_POST['abacaxi'];

Economizamos algumas linhas sem prejudicar a legibilidade do código.

Duplicando as variáveis

A forma abaixo já foi muito usual:

<?php

#
# Recebemos os dados no começo do script
#
$laranja = ( isset($_POST['laranja']) ) ? $_POST['laranja'] : null;
$banana  = ( isset($_POST['banana']) )  ? $_POST['banana']  : null;
$pera    = ( isset($_POST['pera']) )    ? $_POST['pera']    : null;
$abacaxi = ( isset($_POST['abacaxi']) ) ? $_POST['abacaxi'] : null;

#
# Apartir deste ponto podemos utilizar as variáveis sem medo
#
echo $laranja;
echo $banana;
echo $pera;
echo $abacaxi;

Mas ele duplica as variáveis.

O sabor da laranja está tanto em $_POST['laranja'] como em $laranja.

echo $_POST['laranja'];
echo $laranja

Se, duplicar variáveis não for um problema para você, então para mim também não é.

Exercícios

1) Você leu o artigo anterior Enviado dados via GET e POST ? Não, então leia.

2) Experimente os exemplos aqui demonstrados em sua própria máquina, veja a coisa funcionando com seus próprios olhos.

3) Modifique os exemplos para receber mais variáveis e perceba como o seu código fica mais menos passível de manutenção (de difícil manutenção) conforme o número de variáveis cresce.


Comentários

comments powered by Disqus